Companhia ferroviária japonesa vai investigar causas de parada de trens sob intensa neve

Dirigentes de uma companhia ferroviária da região oeste do Japão vão investigar as causas dos problemas que deixaram trens parados durante várias horas em vias férreas, sob intensa precipitação de neve.

Em declarações a jornalistas na quarta-feira, representantes da JR Oeste explicaram que vão rever o funcionamento das linhas com base nas averiguações. Na terça-feira, intensa neve causou transtornos na circulação de trens da região oeste do Japão. Quinze composições das linhas Kyoto e Biwako ficaram retidas entre estações, deixando cerca de 7 mil passageiros sem poder sair dos vagões por várias horas. Dezesseis pessoas foram conduzidas a hospitais por mal-estar.

Funcionários da empresa disseram ter decidido não acionar aparelhos para descongelamento dos trilhos com base na precipitação de neve prevista. A decisão acabou sendo contraproducente, pois resultou na acumulação de neve na área de desvios ferroviários, tornando intransitáveis dezenas de locais.

Quanto ao motivo da retenção dos passageiros no interior dos vagões durante horas, os funcionários da empresa explicaram que aguardavam a restauração do funcionamento das chaves de acionamento dos desvios — necessário para a troca de vias. Assim, explicaram, não haveria desembarque de passageiros em áreas distantes de estações.

Os dirigentes da JR Oeste afirmaram que vão ponderar sobre a necessidade de ter sido ativado o sistema de descongelamento dos trilhos, assim como a de ter permitido o desembarque sem que fosse aguardada a restauração do funcionamento das chaves de acionamento dos desvios.