Ministério japonês elabora planos para o futuro de termelétricas

O Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão elaborou propostas para o uso de usinas termelétricas remodeladas em um momento em que o país procura assegurar um suprimento estável de eletricidade sem abandonar a meta da neutralidade de carbono, apurou a NHK.

A meta do Japão é de atingir emissão líquida zero de carbono até 2050. O que dificulta a concretização da meta é a utilização contínua de usinas termelétricas intensivas em carbono, que correspondem a 70% da matriz energética do país.

O ministério argumenta que a proporção de geração térmica de eletricidade deve ser reduzida ao mínimo para possibilitar uma diminuição das pegadas de carbono.

A pasta propõe que as usinas por construir no futuro misturem combustível com hidrogênio e hidróxido de amônia — substâncias que em combustão não produzem gás carbônico.

Quanto a usinas já existentes, as empresas responsáveis serão solicitadas a esclarecer se pretendem remodelar as instalações para adequá-las às normas ambientais ou se eventualmente vão desativá-las.

O ministério planeja estudar as implicações na legislação e em outras áreas para a colocação em prática das propostas.