NHK Responde: Três anos desde o primeiro caso de coronavírus no Japão (2)

A NHK responde a perguntas sobre o coronavírus. Três anos se passaram desde a confirmação do primeiro caso de Covid-19 no Japão. Novas variantes e subvariantes do vírus têm surgido repetidamente durante o período.

A primeira cepa do coronavírus confirmado no Japão foi o tipo detectado em Wuhan, na China, no início da pandemia. Depois que diversas variantes passaram a surgir no segundo trimestre de 2020, os tipos que se tornaram predominantes na Europa também se disseminaram no Japão.

Desde o começo de 2022, a variante ômicron tem sido a predominante no Japão. Como esta variante é altamente contagiosa, um número maior de pessoas acabou se infectando e, por conseguinte, aumentando o número de mortes. Diversas subvariantes da ômicron já surgiram, elevando a capacidade do vírus de contornar a imunidade. A subvariante BQ.1, por sua vez, tem aumentado sua presença na atual oitava onda de infecções no Japão.

Já a subvariante XBB.1.5 também foi detectada no país. Este tipo está se alastrando atualmente nos Estados Unidos e teme-se que seja muito mais contagioso.

Sato Kei, especialista em vírus e professor do Instituto de Ciências Médicas da Universidade de Tóquio, afirma que novas subvariantes surgem uma após a outra para contornar a imunidade conquistada através da vacinação. Segundo Sato, anticorpos neutralizantes são menos eficazes contra subvariantes XBB do que quaisquer outras cepas.

O especialista diz sentir que a luta contra variantes do coronavírus entrou em uma nova fase. Sato Kei acrescentou que é necessário, agora, discutir o método para permitir que a pandemia continue, em vez de esperar o seu fim.

Estas informações são do dia 24 de janeiro. Elas também estão disponíveis no site do serviço em português da NHK WORLD-JAPAN na internet e na página oficial da NHK no Facebook.