Entidade de Hiroshima marca dois anos de vigência do tratado de proibição de armas nucleares

Ativistas em Hiroshima realizaram domingo uma vigília à luz de velas para marcar os dois anos de vigência do Tratado das Nações Unidas de Proibição de Armas Nucleares.

Cerca de 50 pessoas participaram do ato, organizado por uma entidade que defende a eliminação das armas nucleares, em frente ao Domo da Bomba Atômica, na cidade de Hiroshima.

Os participantes acenderam cerca de 1.500 velas que estavam dispostas para formar as frases “Paz para a Ucrânia” e “Não à guerra nuclear”.

A assessora da entidade Moritaki Haruko afirmou que às vezes é acometida de falta de esperança.

Ela diz estar convicta de que Hiroshima tem a obrigação de dizer ao mundo que qualquer ameaça de uso de armas nucleares é algo desumano, principalmente porque pessoas estão sendo mortas e feridas neste exato momento.

Após a vigília, Moritaki expressou desapontamento por perceber que, passados dois anos de vigência do tratado, a realidade do mundo ainda está distante da meta de proibição efetiva das armas nucleares.

Acrescentou que as pessoas precisam se posicionar contra países que contam com o poder da dissuasão nuclear para se defender. O Japão não firmou o tratado.