Líderes ocidentais discutem oferta de tanques avançados de combate para a Ucrânia

Líderes ocidentais têm oferecido armas a seus aliados ucranianos para que se defendam em meio à invasão russa. No entanto, muitas das armas mais avançadas vinham sendo poupadas. Agora, as lideranças dizem que um novo nível de “poderio de combate” pode ser necessário para expulsar as forças russas para fora da Ucrânia.

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, se encontrou com o ministro da Defesa da Alemanha, Boris Pistorius, na quinta-feira (19). Era o primeiro dia de Pistorius desde que assumiu o novo posto. Ambos se encontram pressionados a fornecer tanques avançados, mas de acordo com um oficial do Pentágono, ainda não estão preparados para atender os pedidos da Ucrânia.

Líderes da Otan precisam de permissão da Alemanha para oferecer aos ucranianos tanques do tipo Leopard-2, fabricados em solo germânico. O presidente Volodymyr Zelenskyy afirma que oficiais na Polônia, Finlândia e em outros países, estão de prontidão, mas ainda aguardam o aval.

Autoridades britânicas prometeram enviar seu principal tanque de combate. Disseram, em uma declaração com outros aliados, que desejam oferecer “um conjunto sem precedentes de doações”.

Oficiais da pasta da Defesa de cerca de 50 países ocidentais temem que os russos possam estar se preparando para uma nova ofensiva. Eles vão se encontrar em uma base aérea na Alemanha, na sexta-feira (20), para debater mais uma leva de assistência militar.

Na quinta-feira (19), o ministro russo das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, acusou líderes ocidentais de criar uma ameaça direta contra os interesses de seu país.

Lavrov disse: “Espero que eles voltem à realidade. Pelo menos nós vamos fazer de tudo para que nossos colegas da Otan e da União Europeia voltem à realidade o mais rápido possível”.