Premiê japonês instrui funcionários a preparar a reclassificação da Covid-19

O premiê japonês Kishida Fumio instruiu funcionários a estudar as etapas necessárias para recategorizar a Covid-19 para a mesma categoria de doenças infecciosas como a influenza sazonal.

Kishida instruiu o ministro da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social Kato Katsunobu e outros funcionários nesta sexta-feira a trabalhar para implementar as mudanças a partir da época da primavera deste ano no Japão.

Isto acontece em um momento em que o ministro da Saúde afirma que os novos casos de infecções no país para os sete dias até a quinta-feira apresentam uma tendência de declínio em comparação com a semana anterior.

A Covid-19 está agora classificada em um nível quase equivalente à categoria dois –– a segunda mais severa no sistema de classificação japonês para doenças infecciosas. O nível permite que as autoridades tomem medidas estritas para prevenir a difusão da doença, incluindo exortar as pessoas a limitar suas movimentações.

Porém, diante do impacto da Covid-19 sobre as atividades socioeconômicas, o governo decidiu na quinta-feira trabalhar para rebaixá-la para a categoria 5, que é a mais baixa.

Se a Covid-19 for rebaixada para a categoria 5, mais instituições médicas poderão aceitar os pacientes de coronavírus e as pessoas não serão mais solicitadas a limitar suas atividades.

O painel de especialistas irá discutir quais serviços de cuidados da saúde e medidas preventivas devem ser preparadas para esta reclassificação.

Os pacientes precisarão também arcar com as despesas para testes, hospitalização e outros procedimentos caso a Covid-19 seja rebaixada para o mesmo nível da influenza. Mas o governo deverá continuar a cobrir os custos neste momento a pedido da Associação Médica do Japão.

O governo irá solicitar opiniões dos especialistas e decidir se irá retirar sua atual recomendação para que as pessoas usem máscaras em ambientes internos.