ONU diz que mais de 7.000 civis morreram na Ucrânia desde início da invasão pela Rússia

Um relatório da ONU afirma que o total de mortes de civis na Ucrânia ultrapassou 7.000 desde que a invasão pela Rússia teve início em fevereiro do ano passado.

Pelo menos 40 pessoas tiveram a morte confirmada no ataque com mísseis do último sábado contra um prédio de apartamentos de nove andares na cidade de Dnipro, no leste da Ucrânia. Na segunda-feira, autoridades de emergência do país declararam que três crianças estavam entre as vítimas e que 25 pessoas permanecem desaparecidas.

A Rússia alegou que o prédio em Dnipro foi atingido como resultado de ações aéreas defensivas da Ucrânia.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy condenou a ofensiva de Moscou. Por meio de uma mensagem em vídeo, na segunda-feira, ele disse: “Cada pessoa culpada por este crime de guerra será identificada e levada à justiça.”

Por sua vez, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos informou, também na segunda-feira, que pelo menos 7.031 civis foram mortos na Ucrânia entre 24 de fevereiro do ano passado – quando a invasão teve início – e 15 de janeiro deste ano. Revelou ainda que 433 vítimas eram crianças.