Pacientes de esclerose lateral amiotrófica apelam ao governo japonês por aprovação de novo medicamento

Um grupo de pessoas no Japão que sofre de esclerose lateral amiotrófica (ELA) pediu ao governo do país que aprove rapidamente um novo medicamento que retarda a progressão da doença.

A esclerose lateral amiotrófica é uma doença que limita gradualmente a mobilidade do paciente. Não existe uma cura conhecida para ela. O governo japonês autorizou dois tipos de medicamentos que retardam a progressão dos sintomas da doença. Um novo remédio chamado Relyvrio foi aprovado nos Estados Unidos e no Canadá até o final de setembro do ano passado.

Na quarta-feira, um grupo de pacientes de ELA entregou a funcionários do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social uma petição assinada por cerca de 10 mil pessoas exortando o governo a disponibilizar mais opções de tratamento. Os pacientes querem que o governo utilize o sistema de aprovação em caráter de emergência aplicado para vacinas contra o coronavírus.

O presidente da Associação Japonesa de Esclerose Lateral Amiotrófica, Onda Satoshi, transmitiu uma mensagem via internet na qual afirma que todas as doenças progressivas representam uma luta contra o tempo. Ele disse que pacientes que aguardam desesperadamente por um medicamento para tratamento estão morrendo neste exato momento.