Coreia do Sul planeja utilizar fundação para indenizar trabalhadores do período da guerra

O governo da Coreia do Sul planeja utilizar uma fundação para realizar pagamentos a trabalhadores sul-coreanos do período da guerra, no lugar de empresas do Japão que foram condenadas pela Suprema Corte a efetuar indenizações.

O plano do governo sul-coreano tem como base opiniões segundo as quais é difícil esperar que empresas japonesas paguem indenizações e façam pedidos de desculpas.

O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul explicou o plano do governo em um fórum, na quinta-feira, em Seul, para discutir meios de resolver a questão dos trabalhos realizados no período da guerra. Entre os participantes estavam advogados, especialistas e representantes de alguns dos autores de ações judiciais sobre o caso.

Tendo em conta a idade avançada dos autores de ações, o governo sul-coreano considera o fórum aberto na quinta-feira como a última etapa para a resolução com o Japão da questão dos trabalhos no período da guerra.

Em 2018, a Suprema Corte da Coreia do Sul condenou empresas japonesas a indenizarem pessoas ou seus parentes que dizem ter sido forçados a trabalhar para elas durante a Segunda Guerra Mundial.

O governo japonês afirma que qualquer direito a reivindicações foi resolvido de forma completa e final em 1965, quando o Japão e a Coreia do Sul normalizaram suas relações.