Setor de logística do Japão prepara-se para lidar com plano para limitar horas extras de caminhoneiros

Um plano do governo japonês para limitar a quantidade de horas extras que caminhoneiros podem fazer está gerando preocupações no setor de logística sobre a crescente falta de mão de obra. A esperada falta de motoristas está sendo apelidada de “problema do ano 2024”.

Uma mudança na lei que entrará em vigor em abril de 2024 vai limitar o número de horas extras que caminhoneiros podem fazer para 960 por ano. Isto deverá melhorar as condições de trabalho, mas vai exacerbar a falta de mão de obra. Segundo um grupo de pesquisas, a quantidade de carga transportada por caminhões poderá cair em 14% em relação ao ano fiscal de 2019.

A empresa de entregas Yamato Holdings pretende lidar com a questão aumentando o volume de transporte feito por avião. Segundo a Yamato, seus três aviões farão 21 voos por dia entre a região de Tóquio e cidades nas ilhas de Hokkaido, no norte, e de Kyushu, no sudoeste do país.

O governo estabeleceu um painel de especialistas para discutir como reduzir a dependência do setor em longos expedientes de trabalho. Isto poderá resultar em regulamentos adicionais àqueles que enviam suas mercadorias por caminhão.