Pesquisa adverte que metade das geleiras do planeta pode desaparecer até 2100 mesmo na melhor das hipóteses

Uma nova pesquisa adverte que quase a metade de todas as geleiras do mundo pode desaparecer até o final deste século, mesmo que a humanidade conseguir alcançar a meta sugerida no acordo de Paris de 2015 sobre mudanças climáticas.

Uma equipe internacional que inclui pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, publicou o estudo no dia 5 de janeiro no periódico Science. Os pesquisadores fizeram simulações em computadores para calcular quanto das 210.000 geleiras do planeta derreteria sob diferentes níveis de aquecimento global.

Os resultados mostram que cerca de 49% das geleiras deverão desaparecer até 2100, mesmo se as nações do mundo cumprirem o objetivo concordado em Paris de limitar o aumento da temperatura média global em 1,5ºC acima dos níveis pré-industriais.

Na pior das hipóteses, que seria um planeta 4ºC mais quente, os cientistas dizem que cerca de 83% das geleiras desapareceriam. O gelo derretido neste caso causaria um aumento do nível do mar em cerca de 15 centímetros.

Geleiras já estão derretendo e causando inundações, e as temperaturas mais altas estão sendo citadas como uma causa disso.