Após invasão do Congresso, 1.500 manifestantes encontram-se detidos em Brasília

O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou que cerca de 1.500 pessoas se encontram detidas, suspeitas de envolvimento na invasão, no último domingo, do Congresso e de outros edifícios em Brasília.

Cerca de quatro mil indivíduos, que se acredita serem apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro, quebraram vidraças e destruíram equipamentos e documentos em edifícios do governo. Tropas de segurança retiraram os invasores e o trabalho de limpeza teve início nos locais afetados.

Na segunda-feira, Lula salientou que vai se esforçar ao máximo para descobrir quem está por trás do ataque. Ele disse que vai investigar detalhadamente o que aconteceu, bem como quem forneceu apoio financeiro.

Na tarde de segunda-feira, apoiadores do presidente Lula se manifestaram em várias partes do país. Cerca de mil pessoas participaram de uma passeata em Brasília pedindo a prisão de Bolsonaro.

Enquanto isso, no estado da Flórida, nos Estados Unidos, o ex-presidente foi hospitalizado devido a problemas de saúde.