Pesquisa mostra que 27,9% de firmas japonesas permitem permanência no emprego até 70 anos

Uma pesquisa realizada pelo governo do Japão mostra que 27,9% de empresas japonesas permitem que seus funcionários permaneçam no emprego até 70 anos. Houve um aumento de 2,3 pontos percentuais em relação ao ano anterior.

Uma lei, que entrou em vigor em abril de 2021, exige que companhias se empenhem para manter seus funcionários na folha de pagamento até 70 anos, caso eles desejem continuar trabalhando, uma vez que o processo de envelhecimento populacional está se acelerando no Japão.

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social perguntou a um número superior a 230 mil firmas, com 21 trabalhadores ou mais, sobre a situação de funcionários de idade avançada em junho de 2022.

O levantamento mostra que 20,4% de empresas de grande porte tinham introduzido sistemas que permitem que funcionários continuem trabalhando até 70 anos, enquanto 28,5% de firmas menores haviam adotado métodos similares.

Entre as companhias que tomaram a iniciativa, 78,1% implementaram sistemas que permitem que trabalhadores permaneçam além da idade de aposentadoria designada, 14% aboliram totalmente a idade de aposentadoria, 7,5% elevaram os limites de idade no trabalho, e 0,1% adotou sistemas que envolvem contratos de terceirização e projetos de contribuição social.

O ministério disse que os resultados da pesquisa mostram que mais empresas estão dedicando esforços para garantir oportunidades de emprego a pessoas até 70 anos de idade. Acrescentou que irá continuar oferecendo auxílio a firmas para que possam adaptar plenamente seus sistemas salariais e de pessoal, com o consentimento de sindicatos.