Presidente do Banco do Japão diz que afrouxamento monetário será mantido em 2023

O presidente do Banco do Japão afirmou que a política de afrouxamento monetário da instituição será mantida em 2023 para dar suporte à economia nacional diante de incertezas mundiais relacionadas à inflação e outras questões.

Kuroda Haruhiko discursou em encontro de Ano-Novo da Associação Japonesa de Bancos realizado quarta-feira em Tóquio.

Ele previu que incertezas econômicas globais vão persistir em consequência de vários fatores, como tendências inflacionárias, riscos geopolíticos e impactos causados por doenças infecciosas. Disse que economias fora do Japão deverão perder fôlego, com relativa redução inflacionária, sem que a sua inflação deixe de rondar índices elevados.

Kuroda destacou projeções de que a economia japonesa continue com relativa firmeza em sua expansão, principalmente pela reabertura pós-pandemia do coronavírus e seu ambiente monetário acomodativo e sustentado. Ele declarou que o banco central japonês vai manter a sua política de afrouxamento monetário para dar suporte à economia nacional e para alcançar de maneira contínua e firme a meta da instituição de concretizar uma inflação estável acompanhada de ganhos salariais.