Rússia anuncia morte de 63 soldados russos durante ataque ucraniano

O Ministério da Defesa da Rússia disse na segunda-feira que 63 de seus soldados foram mortos durante um ataque com mísseis executado pela Ucrânia na região de Donbas, no leste do país. Informou ainda que a Ucrânia utilizou o lançador de mísseis Himars, fornecido pelos Estados Unidos.

A mídia ucraniana e a mídia independente russa reportaram que o ataque ocorreu na noite de domingo. Também informaram que as vítimas da explosão eram reservistas convocados e que é possível que o número de mortos seja ainda maior, provavelmente na casa das centenas.

A agência de notícias estatal russa Tass citou autoridades locais afirmando que o uso frequente de telefones celulares por parte dos soldados na instalação pode ter sido o que causou o direcionamento do ataque ao local. Segundo a notícia, é possível que as forças ucranianas tenham conseguido acesso aos dados de localização dos smartphones.

Especialistas afirmam que é raro que Moscou reconheça um número tão alto de mortos e que o ataque pode ter tido um impacto significativo sobre as Forças Armadas russas.

Também na segunda-feira, o comandante-chefe do exército ucraniano, Valerii Zaluzhnyi, disse que a Ucrânia já retomou 40% das áreas sobre as quais a Rússia havia tomado controle desde o início de sua invasão em fevereiro do ano passado. Também afirmou que as forças ucranianas mataram 100 mil soldados russos e removeram explosivos de uma área de 1.346 hectares.