Agência de Serviços de Imigração do Japão revisa manual para lidar com casos de violência doméstica

A Agência de Serviços de Imigração do Japão revisou um manual para ajudar seus funcionários a lidar de maneira apropriada com estrangeiros detidos de ambos os sexos que podem ser vítimas de violência doméstica.

A medida foi tomada após a morte de Wishma Sandamali, uma mulher do Sri Lanka, em uma instalação de imigração na cidade de Nagoya, região central do país, em março do ano passado. O relatório final da agência a respeito do caso diz que funcionários da instalação que descobriram informações sugerindo que Wishma sofreu violência doméstica não estavam cientes da existência do manual e tampouco investigaram se a mulher era uma vítima. O documento diz ainda que há necessidade de refletir sobre esses pontos.

Com base no relatório, a agência revisou parte do manual para funcionários de instalações de imigração. O documento considera pessoas que enfrentaram violência por parte de um ex-companheiro ou companheira depois do divórcio como sendo vítimas de violência doméstica. Fornece ainda explicações detalhadas sobre formas de violência doméstica, incluindo violência física, psicológica e sexual.

A Agência de Serviços de Imigração planeja informar a respeito da revisão a todas as instalações sob a sua responsabilidade no país inteiro.