Premiê do Japão estuda encurtamento da quarentena para a variante ômicron

O primeiro-ministro do Japão, Kishida Fumio, afirma que o governo nacional vai estudar a possibilidade de encurtar o período de isolamento para indivíduos em contato próximo com pessoas diagnosticadas com a Covid-19.

Atualmente indivíduos nestas condições de contato próximo com pessoas infectadas pela variante ômicron devem cumprir quarentena de 14 dias em acomodações específicas. Profissionais da saúde e de outras áreas vêm solicitando um encurtamento do período, de acordo com as características da variante.

Nesta quinta-feira, o premiê declarou a jornalistas que é necessário dar à variante ômicron um tratamento flexível porque continuam desconhecidas muitas das suas características. Sugeriu que o governo vai avaliar a possibilidade de adotar medidas flexíveis, incluindo um encurtamento do período de quarentena. Kishida ressaltou o pedido de ajustes feito por especialistas, de modo que a sociedade funcione normalmente mesmo com uma propagação acelerada da variante.