Tóquio pede que empresas preparem planos emergenciais para garantir continuidade de negócios

O governo metropolitano de Tóquio passou a pedir que empresas se preparem para a possibilidade de que mais de 10% de seus funcionários possam vir a se ausentar do trabalho devido à disseminação do coronavírus.

Autoridades em Tóquio pedem celeridade para que as empresas esbocem ou revisem seus planos de continuidade de negócios (PCN). Afirmam que o vírus está se espalhando “em velocidade sem precedente”.

Especialistas explicam que uma grande quantidade de funcionários poderá ficar incapacitada de comparecer ao trabalho caso tenham a infecção confirmada ou sejam identificados como contato próximo de uma pessoa infectada. Autoridades afirmam que as ausências de pessoal podem interromper determinados serviços, tais como transporte público e coleta de lixo.

Autoridades da capital japonesa pedem que empresas que ainda não tenham planos de continuidade de negócios participem de seminários para aprender a criá-los.

O governo metropolitano de Tóquio também tem encorajado empresas a usar seus programas de apoio e a buscar aconselhamento de especialistas.

A governadora Koike Yuriko afirmou que a disseminação das infecções pode impactar não apenas os serviços médico-hospitalares, mas também os de distribuição, transporte e outros. Acrescentou que atividades sociais também podem ser afetadas, e que há possibilidade de que escolas deixem de funcionar. Koike pediu com veemência que empresas revisem suas prioridades e se preparem para emergências o mais rápido possível.