Aung San Suu Kyi é condenada a mais quatro anos de prisão em Mianmar

Uma corte em Naypyitaw, capital de Mianmar, condenou a líder de fato deposta Aung San Suu Kyi a mais quatro anos de prisão sob a acusação de vários crimes.

Um porta-voz do Conselho de Administração do Estado disse, na segunda-feira, que ela foi considerada culpada por crimes, inclusive de importação ilegal de walkie-talkies utilizados por seus guardas de segurança e violação de regulamentos concernentes ao coronavírus.

O conselho foi estabelecido pelos militares após o golpe de fevereiro do ano passado.

Aung San Suu Kyi foi condenada a quatro anos de prisão no mês passado por incitação e outras acusações. Contudo esse período foi reduzido para a metade por indulto do chefe do conselho, ao qual será acrescentada esta última pena de prisão.

Ela também é acusada de cometer outros crimes, tais como violação da lei de segredos de Estado e corrupção. Os próximos julgamentos deverão considerá-la culpada e acrescentar mais penas de prisão.