EUA e Rússia permanecem divididos sobre crise na Ucrânia

Diplomatas dos Estados Unidos e Rússia não conseguiram encontrar muitos pontos em comum durante conversações sobre a crise na Ucrânia.

A secretária adjunta de Estado dos EUA, Wendy Sherman, se encontrou com o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, na segunda-feira em Genebra.

Cerca de 100 mil soldados russos se encontram concentrados ao longo da fronteira com a Ucrânia. Autoridades americanas acreditam que as tropas estejam se preparando para invadir.

Líderes russos vêm observando a Ucrânia se aproximar de nações do Ocidente, temendo que o país venha a se juntar à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A Rússia não quer a presença da aliança de defesa no que considera ser seu quintal.

Após a reunião, Ryabkov disse que a Rússia não possui planos de invadir, mas que quer garantias de que a Ucrânia não se juntará à aliança.

Sherman disse que os membros da Otan sempre mantiveram uma política de portas abertas e que não irão abrir mão de cooperar com estados soberanos.

As forças russas invadiram a Ucrânia oito anos atrás e anexaram a Crimeia. Sherman advertiu sobre sanções financeiras caso haja uma nova invasão.