Pesquisa mostra continuidade das cerimônias para jovens de 20 anos mesmo após redução da maioridade no Japão

Uma pesquisa realizada pela NHK mostra que a maioria das municipalidades em todo o Japão vai manter a tradição de permitir que pessoas que estão com 20 anos ou que completam tal idade participem de cerimônias do Dia da Maioridade, mesmo após a redução da idade legal posteriormente neste ano.

A idade oficial que serve de referência à maioridade passará a ser, de 20 anos para 18, a partir de abril, quando o Código Civil revisado entrar em vigor.

O levantamento, conduzido no início deste mês, contou com a participação de 74 governos locais em todo o país, incluindo 23 distritos de Tóquio, antes da realização de cerimônias para novos adultos em ou por volta de 10 de janeiro, em que se comemora o Dia da Maioridade no Japão.

Os resultados mostram que todos os respondentes, com exceção da cidade de Aomori, no norte do país, vão continuar permitindo que as pessoas com ou em torno de 20 anos participem de cerimônias, mesmo após a mudança legal. A cidade de Aomori diz que está considerando o que fazer.

Uma pesquisa do governo central também mostrou resultados similares.

Municipalidades afirmam que os jovens com 18 anos estariam ocupados demais por causa de vestibulares ou procura de emprego, e não poderiam participar de cerimônias requintadas. Elas temem que isso poderia afetar a participação de novos adultos e aumentar as despesas para os pais.

A redução da maioridade irá alterar alguns aspectos do cotidiano. Por exemplo, as pessoas com 18 ou 19 anos poderão obter empréstimos e cartões de crédito sem o consentimento dos pais.

Contudo, aquelas com menos de 20 anos vão continuar sendo proibidas de tomar bebidas alcoólicas, fumar, e apostar em 4 tipos de jogos de azar permitidos legalmente pelo governo japonês, como corrida de cavalos.

O Ministério do Interior e Telecomunicações estima que, no Ano Novo deste ano, havia 1,2 milhão de jovens com 20 anos de idade.