Forças americanas planejam restringir saídas de militares em bases no Japão

O premiê japonês, Kishida Fumio, afirmou que os governos de Japão e Estados Unidos concordaram em restringir saídas de membros das forças militares em bases americanas no Japão.

O governo japonês já vinha solicitando medidas mais rigorosas para evitar a disseminação do coronavírus, de modo a amenizar o receio de moradores locais sobre a escalada nas infecções em instalações americanas no Japão.

Kishida falou durante um programa da NHK no domingo que estava seriamente preocupado com a disseminação do vírus em instalações militares americanas e arredores. Ele disse que o governo americano concordou, em princípio, com a restrição de saídas não essenciais de seus militares.

Kishida acrescentou ter instruído ministérios relevantes a estabelecer um comitê conjunto em nível operacional com funcionários dos órgãos de chancelaria e defesa dos dois países para discutir questões sanitárias e de saúde.

Fontes no governo japonês informam que as forças americanas vão começar a restringir a partir de segunda-feira as saídas não essenciais de seu pessoal. Também planejam tornar obrigatório o uso de máscaras para os membros das forças nas bases americanas.