Chanceleres e chefes da Defesa do Japão e dos EUA realizam reunião online

Os chanceleres e chefes da Defesa do Japão e dos Estados Unidos se reuniram online, pela primeira vez, desde a formação de governo do premiê japonês, Kishida Fumio, em outubro do ano passado.

Segundo uma declaração conjunta divulgada após as conversações, eles manifestaram preocupações sobre atividades da China e estavam determinados em "deter em conjunto e, se necessário, responder a atividades desestabilizadoras na região".

A reunião, com a duração de aproximadamente 90 minutos, foi realizada na manhã de sexta-feira, hora do Japão. O chanceler japonês, Hayashi Yoshimasa, e o ministro da Defesa, Kishi Nobuo, trocaram opiniões com o secretário de Estado americano, Antony Blinken, e o da Defesa, Lloyd Austin.

O comunicado diz que "os atuais esforços da China para abalar a ordem baseada em regras representam desafios políticos, econômicos, militares e tecnológicos para a região e o mundo".

Cita também que "os Estados Unidos reiteraram que vão manter solidariedade firme com o Japão para se opor a quaisquer ações unilaterais que buscam mudança nas condições ou que minam a administração das Ilhas Senkaku pelo Japão, no Mar da China Oriental.

O Japão controla as ilhas. China e Taiwan as reivindicam. O governo japonês sustenta que não há questão de soberania a ser resolvida em relação às ilhas.

A declaração diz também que os Estados Unidos reafirmaram que o artigo 5º do tratado de segurança nipo-americano se aplica às ilhas. O artigo obriga os Estados Unidos a defenderem territórios sob controle administrativo do Japão.