Premiê do Camboja visita líder militar de Mianmar

O governo do Camboja disse que o primeiro-ministro Hun Sen vai se encontrar com o líder militar de Mianmar, o General Min Aung Hlaing. Sua visita de dois dias a Mianmar, a partir desta sexta-feira, parece ser parte de um esforço para resolver a questão da ausência birmanesa nas reuniões de cúpula da Asean, a Associação das Nações do Sudeste Asiático.

O governo acrescenta que os líderes "discutirão e trocarão opiniões sobre cooperações bilaterais e multilaterais, assim como os recentes desenvolvimentos observados na Asean". O Camboja detém a presidência rotativa da Asean deste ano.

A Asean impediu que Min Aung Hlaing, que liderou o golpe militar em fevereiro de 2021, participasse em suas cúpulas no ano passado.

Nos motivos citados pela associação para a proibição, incluíam-se a contínua repressão dos militares contra ativistas pró-democracia e sua relutância em aceitar os esforços do bloco para mediar um caminho em prol da paz no país.

Os militares de Mianmar protestaram contra a exclusão de Min Aung Hlaing, recusando-se a enviar um representante em seu lugar.

Hun Sen ressaltou a importância de manter a unidade entre as nações da Asean, expressando o desejo de ver Mianmar retornar às reuniões dos líderes.

Hun Sen também indicou que poderá estender sua permanência em Mianmar, sugerindo que está pronto para trabalhar arduamente nas negociações.