Integrantes da minoria étnica uigur entram com ação judicial contra o presidente da China

Um grupo de uigures na Turquia entrou com uma queixa criminal contra o presidente chinês Xi Jinping e outras autoridades acerca de supostos abusos de direitos humanos na região autônoma de Xinjiang Uigur na China.

O grupo consiste em 19 indivíduos da etnia uigur que residem na Turquia. Eles submeteram a queixa às autoridades jurídicas turcas na terça-feira. A queixa é direcionada contra 112 pessoas, incluindo o presidente Xi e autoridades chinesas de segurança.

Segundo a queixa, eles alegam que a China mantém detidos 116 uigures em campos de concentração na região de Xinjiang.

O advogado dos reclamantes afirma que Xi e autoridades de segurança são suspeitos de estarem envolvidos em genocídio.

Os uigures são um grupo etnicamente próximo do povo turco. Cerca de 50 mil deles vivem na Turquia.

Após a queixa ter sido submetida, cerca de 150 manifestantes uigures protestaram contra o governo chinês em frente à uma corte em Istambul, a maior cidade da Turquia.

A China será a sede dos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pequim, que estão marcados para começar no mês que vem. A ação jurídica parece ter o objetivo de aumentar a conscientização internacional acerca da situação dos direitos humanos na região de Xinjiang, em antecipação aos Jogos.