Chefe da OMS reitera apelo por distribuição mais equitativa de vacinas contra a Covid-19

O chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) reiterou seu apelo para que países compartilhem vacinas contra a Covid-19 de maneira mais equitativa.

Na quarta-feira, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que 92 países-membros não cumpriram a meta de imunizar 40% de suas populações até o final deste ano. Ele disse que isso se deve a uma combinação de quantidade limitada sendo destinada a países de baixa renda na maior parte do ano e, subsequentemente, vacinas chegando com prazo de validade quase no fim e sem partes essenciais, como, por exemplo, as seringas.

Segundo Tedros, 40% era possível. Ele acrescentou que isso não se trata somente de uma vergonha moral, mas custou vidas e proporcionou ao vírus a oportunidade de circular sem controle e sofrer mutações.

Era esperado que a iniciativa Covax, uma estrutura liderada pela Organização Mundial da Saúde para a distribuição justa de vacinas contra a Covid-19, distribuísse dois bilhões de doses ainda este ano, mas somente cerca de 800 milhões de doses foram providenciadas até o momento.

O diretor-geral da OMS afirmou querer que governos, a indústria e a sociedade civil trabalhem em uma campanha que tem como meta uma cobertura vacinal de 70% em cada país até meados de 2022.