Tribunal russo ordena dissolução de grupo de direitos humanos

O Supremo Tribunal da Rússia ordenou a dissolução de um grupo proeminente de direitos humanos, aumentando as preocupações sobre a supressão dos direitos humanos e a liberdade de expressão no país.

O tribunal emitiu a ordem na terça-feira para a organização chamada Memorial, que tem trabalhado para preservar os registros da repressão política durante a era soviética.

A Memorial foi considerada como sendo um agente estrangeiro pelo governo. Outros grupos e meios de comunicação que são críticos às autoridades também têm recebido essa designação.

Os promotores entraram com um processo contra o grupo em novembro, alegando que ele transgrediu a legislação russa.

O tribunal aceitou o argumento dos promotores de que o grupo de direitos humanos recebia fundos de organizações estrangeiras.

Os apoiadores da Memorial se reuniram dentro e fora do tribunal entoando “desgraça” quando a decisão foi emitida.

Eles dizem que o Estado não quer a coexistência com uma sociedade civil autêntica, e a decisão judicial os lembra da vida durante a era soviética.

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos expressou grande preocupação com o caso no mês passado.