Japão acelera procedimentos para se juntar às linhas diretas de defesa estabelecidas pela Asean

O Japão diz que se juntará às linhas diretas de defesa estabelecidas entre os membros da Asean, a Associação das Nações do Sudeste Asiático.

O Ministro da Defesa do Japão, Kishi Nobuo, fez o anúncio durante uma videoconferência com o segundo ministro da Defesa de Brunei, Pehin Halbi, na terça-feira.

Kishi transmitiu a intenção do governo japonês de fazer uma contribuição ativa para a paz e a estabilidade regional.

O Ministério da Defesa diz que o Japão é o segundo país não membro da Asean, depois da Austrália, a se juntar às linhas diretas.

Os dois ministros reafirmaram que seus países vão acelerar os arranjos para assinar um memorando de cooperação bilateral no setor de defesa.

Kishi Nobuo e Pehin Halbi também concordaram em reforçar os laços através de exercícios conjuntos de defesa.

Sobre as questões regionais, Kishi enfatizou a necessidade de se opor às tentativas unilaterais de mudar o status quo, aparentemente se referindo às crescentes atividades marítimas por parte da China.

Ele também indicou que os lançamentos de mísseis balísticos pela Coreia do Norte estão violando as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e representam um sério desafio para a comunidade internacional.