Capitão e tripulante responsáveis por vazamento de óleo nas Ilhas Maurício são condenados à prisão

O capitão e um membro da tripulação de um navio que encalhou ao longo da costa das Ilhas Maurício no ano passado, resultando num enorme vazamento de óleo, foram ambos condenados a 20 meses de prisão.

Na segunda-feira, um tribunal da nação insular do Oceano Índico declarou o capitão, indiano, e o membro da tripulação culpados de colocar em perigo a segurança da navegação.

O graneleiro Wakashio, pertencente à Nagashiki Shipping, havia sido fretado pela Mitsui O.S.K. Lines, ambas companhias japonesas. Cerca de mil toneladas de óleo combustível vazaram do navio.

Segundo a imprensa local, ambos os réus admitiram às acusações e pediram desculpas pelos estragos causados. Segundo os relatórios, uma festa de aniversário estava sendo realizada a bordo no momento do acidente, em julho do ano passado, e o capitão tinha bebido e permitido que membros da tripulação levassem o navio às proximidades da costa para poderem receber sinais de telefonia móvel.

O vazamento de óleo poluiu o meio ambiente e causou prejuízos consideráveis à indústria pesqueira local. Funcionários do governo das Ilhas Maurício dizem que a remoção do óleo foi concluída, mas que uma investigação sobre o impacto do vazamento no ecossistema continua sendo realizada.