Premiê do Japão quer garantir acesso a vestibular mesmo em casos de contato com ômicron

O primeiro-ministro do Japão está tentando garantir que sejam oferecidas oportunidades iguais de acesso aos exames de admissão a universidades para estudantes, mesmo para aqueles que tenham tido confirmado contato próximo com portadores da variante ômicron do coronavírus.

No domingo, Kishida Fumio instruiu o Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia (MEXT) a criar rapidamente formas de garantir um processo justo.

Ele deu como exemplo uma crescente preocupação entre os jovens que querem fazer o vestibular de que sejam tratados injustamente caso sejam identificados como tendo tido contato próximo com portadores da ômicron.

Nos últimos dias no Japão, aumentou o número de pessoas que foram confirmadas infectadas pela variante ômicron através de transmissão comunitária.

A temporada anual de exames de admissão a universidades no Japão terá início no próximo mês.