Putin anuncia possível reunião entre diplomatas russos e americanos para o ano que vem

O presidente russo Vladimir Putin anunciou que diplomatas de seu país devem provavelmente conversar com representantes dos Estados Unidos em reunião de alto nível em Genebra, no início do ano que vem, com o fim de debater a situação da Ucrânia.

Putin concedeu sua anual coletiva de imprensa de fim de ano na quinta-feira, e respondeu a perguntas de órgãos de imprensa russos e estrangeiros por cerca de quatro horas.

Em meio à crescente tensão acerca da imensa presença de tropas russas ao longo de sua fronteira com a Ucrânia, Putin expressou forte preocupação sobre os esforços dos Estados Unidos e da Otan de impulsionarem seus laços com o lado ucraniano.

A Rússia tem pedido garantias por escrito de que a Otan vai interromper seu processo de expansão e negar membresia à Ucrânia.

Putin disse que a Rússia precisa pensar em garantir sua segurança e acrescentou que “a bola está com ele”, dando a entender que o lado russo pretende buscar concessões dos Estados Unidos por meio de negociações.

O presidente russo também argumentou que países ocidentais quebraram suas promessas de não embarcar na expansão oriental da Otan após o colapso da União Soviética há cerca de 30 anos. Disse acreditar que as nações do Ocidente têm colocado constante pressão sobre Moscou, temendo que a Rússia de hoje ainda seja grande demais, mesmo após o fim da URSS.