Operadora da rede de lojas Uniqlo diz que teve aumento nos lucros graças a fortes vendas

A Fast Retailing, operadora da rede de lojas de roupas Uniqlo, disse que os lucros líquidos da empresa tiveram uma alta superior a 5% na primeira metade do seu ano fiscal, em comparação ao ano anterior, graças às fortes vendas na China e no Japão.

A companhia disse, na quinta-feira, que os lucros líquidos para os seis meses contados até o mês de fevereiro aumentaram para cerca de 964 milhões de dólares.

A Fast Retailing elevou levemente sua previsão para os doze meses do seu ano fiscal que terminará em agosto. Ela espera que a receita tenha um aumento de 10% em relação ao ano anterior, chegando a cerca de 20,2 bilhões de dólares.

Yanai Tadashi, presidente e CEO da Fast Retailing, disse o seguinte em uma entrevista à imprensa: “A Ásia é e será o centro do crescimento mundial. Queremos acelerar nossa expansão na região de forma que possamos ser indiscutivelmente a companhia número um da Ásia.

Na China, algumas grifes estrangeiras pararam de utilizar algodão produzido na Região Autônoma de Xinjiang Uygur por conta dos relatos de abusos dos direitos humanos.

A Fast Retailing emitiu uma declaração em agosto do ano passado, dizendo que “não há produtos da Uniqlo fabricados na região de Xinjiang”.

Na quinta-feira, Yanai se recusou a comentar questões relacionadas citando o seguinte: “Eu gostaria de não responder a esse tipo de perguntas por serem mais políticas do que de direitos humanos”. E acrescentou: “Estamos observando cautelosamente as condições do cultivo de algodão e o processamento em nossas fábricas. Se forem encontrados problemas nas condições de trabalho, suspenderemos os negócios com essa fábrica”.