Tóquio, Kyoto e Okinawa deverão tornar mais severas medidas contra o coronavírus

O governo central do Japão vai, provavelmente, permitir que os governadores da capital Tóquio e das províncias de Kyoto e Okinawa implementem medidas destinadas a combater o coronavírus.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro Suga Yoshihide anunciou sua intenção de permitir que Tóquio tome tais ações, conforme solicitado pela governadora. Suga disse que a capital japonesa confirmou mais de 500 novos casos de infecção na quarta e na quinta-feira, e que a taxa de ocupação dos leitos hospitalares para o tratamento da Covid-19 está se elevando.

O governo também levou em conta as condições em Kyoto e em Okinawa, tais como a situação difícil na disponibilidade de leitos de hospitais e preocupações com as variantes do vírus.

O governo central deverá permitir que medidas intensivas entrem em vigor a partir de segunda-feira, dia 12 de abril, até o dia 5 de maio em Kyoto e Okinawa, e até o dia 11 de maio em Tóquio.

O governo visa finalizar seus planos em uma reunião de sua força-tarefa nesta sexta-feira após consulta com seu painel de especialistas e fazer um comunicado no Parlamento.

As medidas mais severas deverão cobrir os 23 distritos e seis cidades de Tóquio, nove cidades da ilha principal de Okinawa, assim como a cidade de Kyoto.

Procedimentos similares já estão sendo tomados em partes das províncias de Osaka, Hyogo e Miyagi.