Universidade de Oxford interrompe experimento da vacina em crianças e adolescentes no Reino Unido

A Universidade de Oxford afirma que vai suspender os experimentos clínicos em crianças e adolescentes da vacina da Covid-19, desenvolvida em conjunto com a fabricante britânica de medicamentos AstraZeneca.

A decisão foi tomada após relatos de ocorrências de coágulos sanguíneos em adultos que receberam a vacina em países europeus.

A universidade anunciou na terça-feira a suspensão dos experimentos, que haviam começado em fevereiro no Reino Unido para pessoas com 17 anos de idade ou menos.

A instituição de ensino ressaltou que não há preocupação de segurança em relação aos experimentos pediátricos, mas afirmou que vai aguardar mais orientações da Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde, entidade de vigilância sanitária britânica, antes de dar prosseguimento aos estudos.

Anteriormente, a Alemanha e a França também suspenderam o uso da vacina devido a problemas de trombose.

Mas a Agência Europeia de Medicamentos, entidade reguladora de fármacos da União Europeia, afirmou em uma revisão feita em março, que a vacina é segura e eficaz. Acrescentou que os benefícios das doses superam os possíveis riscos.

A agência deve divulgar atualizações sobre as descobertas mais recentes em breve.