Meio-irmão do rei da Jordânia sob investigação de conspiração

O ministro das Relações Exteriores da Jordânia acusou o meio-irmão do rei Abdullah de conspirar com elementos externos em um plano para desestabilizar o país.

Ayman Safadi apresentou a acusação contra o príncipe Hamzah bin Hussein durante uma coletiva de imprensa realizada no domingo na capital Amã.

Safadi disse que o príncipe Hamzah é alvo de uma investigação e que mais de 10 outras pessoas, incluindo membros da família real próximos ao príncipe, já foram presas.

O chanceler não entrou em detalhes sobre o plano ou quais seriam estes elementos externos. Disse, no entanto, que as investigações iniciais haviam revelado que suas “atividades e movimentos haviam chegado a um ponto que afetava diretamente a segurança e estabilidade do país”.

O príncipe Hamzah se tornou o príncipe-herdeiro em 1999, quando o rei Abdullah ascendeu o trono. Entretanto, o príncipe foi destituído do título em 2004, o que levantou suspeitas de que seu relacionamento com o rei estava desgastado.

Em um vídeo transmitido pela BBC, o príncipe Hamzah negou ter feito quaisquer transgressões e disse ter sido colocado sob prisão domiciliar.

É um evento raro para a Jordânia, uma aliada dos EUA e país que tem a reputação de ser uma monarquia estável, estar envolvida com instabilidade política.

Os Estados Unidos e países do Oriente Médio divulgaram declarações em apoio ao rei Abdullah. Especialistas afirmam estar acompanhando de perto a situação na Jordânia com a esperança de que o país não venha a se desestabilizar.