Painel consultivo do governo japonês sobre coronavírus define prioridade de conter infecções até junho

O chefe do painel consultivo do governo japonês sobre a questão do coronavírus afirmou que sua principal prioridade é evitar um repique de novas infecções até por volta de junho, quando os governos locais provavelmente devem receber doses suficientes de vacinas para cidadãos idosos.

Omi Shigeru falou em uma coletiva de imprensa na quinta-feira. Ainda no mesmo dia, o governo central tomou a decisão de permitir que as províncias de Osaka, Hyogo e Miyagi tomem medidas antivírus mais rígidas, mesmo sem a declaração de estado de emergência.

Omi afirmou que outras regiões podem vir a precisar de medidas similares em breve. Ele disse que o painel consultivo vai orientar autoridades locais a tomar decisões de forma flexível, com base em avaliações objetivas.

Segundo Omi, focos de infecção têm ocorrido recentemente não apenas em restaurantes mas também em festas estudantis ou outros tipos de confraternizações, bem como em fábricas, escolas, comunidades estrangeiras e em casas de karaokê.

Omi ressaltou a necessidade de os governos central e locais implementarem um pacote de medidas antivírus. As medidas devem incluir: pedir que restaurantes reduzam seu horário de atendimento, realizar inspeção dos estabelecimentos, alertar a população a não viajar entre diferentes províncias e pedir que as pessoas evitem frequentar casas de karaokê.

Omi destaca que jantares em grupo devem ocorrer em estabelecimentos nos quais estão em vigor medidas contra o vírus e que o número de participantes deve ser limitado a quatro pessoas.

Também pediu que a população evite situações de espaços fechados, lotados e de contato próximo com outros.

Omi pediu com veemência que as pessoas usem máscaras ao conversar, mesmo em restaurantes, e que evitem frequentar grandes festas com bebidas alcóolicas.