Companhias japonesas criam consórcio para desenvolver plástico ecológico

Empresas japonesas colaboram com uma importante universidade do país para produzir um novo tipo de plástico que poderá diminuir as emissões de gás carbônico.

O objetivo do grupo é desenvolver a tecnologia de produção em massa de um plástico derivado de material orgânico, conhecido como “biomassa”. O componente principal vem de uma microalga chamada euglena.

Foi criado um consórcio entre a Seiko Epson, a NEC, a Universidade de Tóquio e uma empresa de capital de risco batizada de Euglena. O plástico de biomassa será baseado no componente paramilon, proveniente da euglena.

A euglena absorve o dióxido de carbono através da fotossíntese. Segundo pesquisadores, isso pode ser uma alternativa bem mais ecológica que o plástico comum, derivado de combustíveis fósseis. Uma grande parte do dióxido de carbono é emitida durante o processo de produção.

O consórcio espera produzir cerca de 200 mil toneladas de plástico de biomassa por ano até 2030.