ONU consulta China sobre envio de missão à Região Autônoma de Xinjiang Uigur

O secretário-geral da ONU, António Guterres, reconheceu que a entidade está consultando com a China sobre o envio de uma missão do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos à Região Autônoma de Xinjiang Uigur.

A declaração foi feita por Guterres durante uma coletiva de imprensa, na segunda-feira, em meio à escalada dos confrontos entre países ocidentais e a China por causa de supostos abusos de direitos humanos na região.

Países, incluindo os Estados Unidos, o Reino Unido e o Canadá, têm imposto sanções à China, citando sérias violações dos direitos humanos. O lado chinês, por sua vez, anunciou sanções retaliatórias, alegando que a acusação não é baseada na verdade.

A ONU se absteve de criticar a China diretamente, mas tem pedido que Pequim aceite receber uma missão investigativa por causa de preocupações apresentadas por vários países no Conselho de Direitos Humanos.

Guterres afirmou: “Nós estamos engajados com o governo chinês para viabilizar a missão do Alto Comissário para os Direitos Humanos e para garantir que ela não sofra com limitações inaceitáveis”. “Espero que esta negociação seja concluída de maneira favorável”, acrescentou o secretário-geral da ONU.