Legisladores na China discutem detalhes sofre a reforma eleitoral para Hong Kong

O Comitê Permanente do Congresso Nacional do Povo, na China, discute nesta segunda-feira e na terça-feira em Pequim detalhes sobre a reforma eleitoral em Hong Kong.

O Congresso Nacional do Povo decidiu este mês ampliar a autoridade do Comitê Eleitoral para autorizá-lo a escolher diversos deputados da Assembleia Legislativa do território. Além disso, uma nova comissão será formada para escrutinar a qualificação de candidatos a chefe do Executivo e a deputados da Assembleia Legislativa.

O mais importante órgão legislativo da China diz que o sistema eleitoral de Hong Kong apresenta “claras brechas e deficiências” e que o território deve ser governado por “patriotas”.

As atenções se voltam para que processos serão estabelecidos a fim de compor a comissão de escrutinadores e excluir candidatos críticos a Pequim e ao governo de Hong Kong, nos trabalhos do Comitê Permanente.

Membros do comitê provavelmente vão apressar deliberações, pois haverá eleições para a escolha de deputados da Assembleia Legislativa, em setembro, e do chefe do Executivo, no primeiro semestre de 2022.

Fontes citadas pelo jornal Global Times, que é vinculado ao Partido Comunista da China, atribuem a autoridades de Hong Kong a expectativa de concluir até o fim de maio emendas à legislação relevantes sobre a reforma.