Militares matam mais de cem pessoas em Mianmar no sábado

A mídia de Mianmar divulgou que mais de cem pessoas foram mortas por tiros disparados pelas forças de segurança do país contra manifestantes em protestos realizados no Dia das Forças Armadas.

Uma cerimônia foi realizada no sábado na capital Naypyitaw para marcar a data. O líder da junta militar, general sênior Min Aung Hlaing, fez um discurso e justificou o golpe do mês passado. Ele afirmou que os militares estão dedicando esforços para o bem da nação e seu povo.

Enquanto isso, manifestantes atenderam a pedidos para juntar-se aos protestos em todo o país na data de realização da cerimônia. Eles se reuniram nas duas maiores cidades de Mianmar, Yangun e Mandalay, e em outras localidades no país.

Segundo o serviço de notícias online Myanmar Now, pelo menos 114 pessoas foram mortas só no sábado por tiros disparados diversas vezes pelas forças de segurança. Acredita-se que o número seja o maior para um único dia desde o golpe militar.

Outros veículos de mídia também relataram casos de crianças mortas pelas forças de segurança, apesar de não estarem participando das manifestações. Elas incluem um menino de 13 anos, que morreu após ser baleado na cabeça enquanto brincava perto de sua casa.