NHK responde: Vacinação (31) – Qual é a eficácia das vacinas que serão utilizadas no Japão?

A NHK responde às perguntas enviadas pelos ouvintes a respeito do novo coronavírus. A partir de hoje, vamos ver algumas marcas de vacinas e a eficácia de cada uma delas.

Muitas companhias que desenvolveram vacinas contra o coronavírus divulgaram os resultados de seus testes clínicos para mostrar o quão eficazes são seus produtos.

A eficácia de uma vacina é avaliada comparando-se um grupo de pessoas que receberam a vacina com um outro de pessoas que tomaram placebo, uma vacina falsa. Se a taxa das pessoas que desenvolveram sintomas do vírus for menor no caso do grupo vacinado em comparação à do grupo que tomou placebo, a vacina é julgada como eficaz na prevenção da doença.

Testes clínicos realizados com dezenas de milhares de pessoas indicaram que a vacina desenvolvida pela gigante farmacêutica americana Pfizer e sua parceira alemã BioNTech, assim como a vacina desenvolvida pela Moderna, uma outra fabricante de medicamentos americana, apresentaram uma taxa de eficácia superior a 90%. Essas são duas das vacinas de empresas com as quais o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão firmou contrato de fornecimento.

Mas o que significa uma taxa de eficácia superior a 90%? Vamos supor que cem pessoas desenvolveram sintomas após um determinado período de tempo depois de tomar placebo, enquanto menos de 10 pessoas entre aquelas vacinadas desenvolveram sintomas após o mesmo período de tempo. Comparando-se esses dois números, julga-se que a vacina contribuiu para inibir a incidência da Covid-19 em mais de 90% das pessoas.

Contudo, temos que levar em conta que aquelas pessoas vacinadas ainda poderão ser infectadas com o vírus. Assim, é necessário continuar a tomar precauções tais como usar máscaras e evitar os “três pontos essenciais”, que são espaços fechados, locais com aglomerações de pessoas e ocasiões com contatos próximos entre as pessoas, mesmo após o programa da vacinação estar em pleno andamento.

A partir da próxima edição, vamos verificar cada uma das principais vacinas em uso no mundo para ver o quanto elas podem ser eficazes.

Esta informação foi atualizada no dia 26 de março.