NHK Responde: Vacinação (30) — Situação das infecções com variantes do coronavírus no Japão

A NHK responde a perguntas de ouvintes sobre o novo coronavírus. Nesta 30ª edição da série sobre vacinação, continuamos a tratar de características de variantes e da eficácia das vacinas.

Wada Koji, especialista em saúde pública e professor da Universidade Internacional de Saúde e Bem-Estar Social, explica a situação das infecções por variantes do coronavírus no Japão.

Wada diz haver ainda muitas coisas desconhecidas a respeito das infecções no país. Explica, porém, que, dada a situação em outras nações, convém constatar a dificuldade de conter a disseminação de variantes e a grande probabilidade de que se tornem a principal causa de infecções também no Japão.

Ele fala do risco de que infecções causadas principalmente por variantes venham a acelerar o contágio e a progressão da quantidade de casos. Nota que as medidas a tomar pela população para prevenir infecções por variantes são idênticas às que têm sido tomadas contra a cepa original. Ressalta, contudo, que, no início do ano fiscal no Japão, em abril, encarregados de medidas anti-infecção poderão ser substituídos em muitas organizações, dificultando, em alguns casos, a continuidade da execução de medidas consistentes.

Wada lembra que houve circunstâncias semelhantes neste mesmo período do ano passado. Ele pede a execução das medidas tomadas até agora de maneira mais ágil, principalmente por instituições de prestação de cuidados a idosos, estabelecimentos médico-hospitalares e governos municipais.

Considera igualmente importante que haja uma intensificação do monitoramento da disseminação de variantes. Para Wada, caberia ao governo japonês o estabelecimento de regras para possibilitar a detecção de variantes obtidas em exames realizados em instituições particulares.

Estas informações, atualizadas em 25 de março, estão no site e na página oficial do Facebook em português da NHK WORLD-JAPAN.