Ministério da Saúde pede que províncias japonesas assegurem mais leitos hospitalares

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão pediu que governos provinciais assegurem mais leitos hospitalares para uma possível reincidência de casos de coronavírus.

Em junho do ano passado, a pasta estimou a quantidade de hospitalizações no pico das infecções e instou as províncias a assegurar leitos conforme necessário. Mas a terceira onda de contágio elevou o número de casos a patameres recordes em todo o Japão. O surto comprometeu o sistema médico, à medida que hospitais não eram capazes de usar leitos disponíveis devido à falta de profissionais da saúde. Muitos leitos também permaneceram ocupados por pacientes cujos sintomas haviam melhorado, já que era difícil encontrar hospitais que aceitassem pacientes nesse estágio da enfermidade.

Na quarta-feira, o ministério da Saúde apressou os governos provinciais a revisarem seus planos para assegurar leitos hospitalares. Pediu que sejam delineadas, até o fim do próximo mês, medidas emergenciais referentes a adiamento de hospitalizações e de cirurgias para pacientes que não estejam infectados pelo coronavírus, com base na hipótese de que o número de infecções diárias venha a dobrar em relação ao pico da terceira onda.

A pasta afirma que restrições em relação a cuidados médicos gerais seriam temporárias.