Comitê dos Jogos de Tóquio reafirma compromisso com igualdade de gênero

O comitê organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, que foi recentemente expandido, reafirmou a necessidade de se aprofundar o debate sobre igualdade de gênero.

Os membros do comitê realizaram uma reunião na segunda-feira pela primeira vez desde que 12 mulheres foram incluídas em sua composição no início deste mês. A medida elevou a proporção de mulheres no quadro para mais de 40 por cento.

A decisão para tal foi tomada após o ex-presidente do comitê, Mori Yoshiro, ter renunciado ao cargo devido a comentários feitos por ele terem sido considerados por muitos degradantes a mulheres.

Entre as novas integrantes estão Takahashi Naoko, medalhista olímpica de ouro em maratonas, e a professora da Universidade de Chukyo Raita Kyoko, que também é a chefe da Sociedade Japonesa de Estudos de Gênero e Esportes.

Raita fez um discurso durante a reunião do comitê, declarando esperar que os Jogos de Tóquio sirvam como uma oportunidade para a eliminação da desigualdade de gênero na sociedade japonesa.

No sábado, os organizadores decidiram que as Olimpíadas e Paralimpíadas deste verão serão realizadas sem espectadores vindos do exterior em decorrência da contínua disseminação das infecções pelo coronavírus.

A presidente do comitê, Hashimoto Seiko, buscou a compreensão dos membros do conselho sobre a decisão.

O comitê anunciou ainda que serão cancelados os planos de aceitar cerca de 2.300 voluntários estrangeiros vivendo no exterior, exceto por alguns poucos que possuem conhecimentos específicos relevantes.