Sistema de arrefecimento de reator de Fukushima 1 sofreu danos com terremoto de fevereiro

A operadora da usina nuclear Fukushima 1 aumentou a quantidade de água sendo bombeada para dentro de um dos recipientes de contenção do reator nuclear desativado. O recipiente teria sofrido danos adicionais causados por um forte terremoto ocorrido em meados de fevereiro.

A Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco) informou que o nível de água utilizada para refrigeração dentro do recipiente de contenção do reator número 1 começou a cair após este recente terremoto.

De acordo com a Tepco, a profundidade da água dentro do recipiente havia caído para 90 centímetros às 20h24 de segunda-feira. A quantidade de água para arrefecimento sendo injetada foi aumentada de 3 para 4 metros cúbicos por hora, evitando assim que o nível da água caísse ainda mais, o que poderia impossibilitar as operações de monitoramento.

A empresa afirma que a água para arrefecimento do reator é circulada e reutilizada e que, portanto, o volume total de resíduos de água contaminada gerado pelo processo não irá sofrer um aumento significativo.

O reator número 1 é um dos três reatores da usina nuclear que sofreram uma fusão após o forte terremoto seguido de tsunami em março de 2011. Combustível derretido e destroços da estrutura ainda precisam ter sua temperatura constantemente controlada.

A Tepco afirma ser muito provável que o terremoto de meados de fevereiro tenha piorado ainda mais os danos causados pelo desastre de 10 anos atrás, resultando em uma maior quantidade de água sendo vazada. Informou ainda não haver preocupações com relação à segurança, já que os restos de combustível permanecem em temperatura baixa e a água que está vazando fica presa dentro das instalações do reator.