Dois americanos são indiciados em Tóquio por ajudar na fuga de Carlos Ghosn

A promotoria de Tóquio indiciou dois cidadãos americanos por terem ajudado o ex-presidente do conselho de administração da Nissan Motor, Carlos Ghosn, a escapar do Japão para o Líbano.

Michael Taylor, ex-membro das Forças Especiais do Exército americano, e seu filho Peter Taylor foram indiciados na segunda-feira. Os dois foram extraditados para o Japão no começo de março.

A promotoria afirma que os dois homens esconderam Ghosn em um grande contêiner e assim, retiraram-no ilegalmente do Japão em um jato particular, em dezembro de 2019. Ghosn aguardava julgamento das acusações de irregularidades financeiras que pesam contra ele. Na época, ele estava em liberdade sob fiança.

Fontes afirmam que os Taylors, que foram detidos no estado americano de Massachusetts em maio do ano passado, admitiram as acusações e disseram aos investigadores que a esposa de Ghosn, Carole, teria pedido ajuda para a fuga do marido.