Autoridades pedem cautela mesmo com o fim do Estado de Emergência na Grande Tóquio

O Estado de Emergência em Tóquio e três províncias vizinhas foi encerrado domingo, ao fim do período de dez semanas em que esteve vigor. Algumas restrições estão sendo abrandadas, mas as autoridades advertem à população que se mantenha alerta.

O número de casos contabilizados a cada dia caiu 80% desde que a medida entrou em vigor em janeiro. Entretanto, nos dias recentes tem havido uma ligeira alta, levando o governo nacional a manter a solicitação de que bares e restaurantes antecipem o seu horário de fechamento e de que as empresas em geral incentivem funcionários a trabalhar remotamente.

Um homem disse à reportagem que pensa em continuar a alternar de forma equilibrada idas ao local de emprego e o trabalho remoto. Outro entrevistado expressou preocupação com o risco de haver uma nova onda de infecções.

Companhias aéreas tomam novas medidas para tranquilizar viajantes. Nesta segunda-feira, a Japan Airlines (JAL) colocou em funcionamento no Aeroporto de Haneda, em Tóquio, máquinas de check-in nas quais basta ao passageiro aproximar a mão para operá-las, sem necessidade de toque.

E o governo japonês passou a autorizar uma presença maior de público em grandes eventos. A lotação pode agora chegar à metade da capacidade, com limite máximo de 10 mil espectadores presentes.

O principal porta-voz do governo instou a população a cumprir sua parte na prevenção de um novo repique nas infecções.

O secretário-chefe do Gabinete, Kato Katsunobu, disse esperar que todas as pessoas tomem medidas básicas para prevenir infecções, como usar máscara, lavar as mãos e evitar espaços confinados, aglomerações e circunstâncias de contato próximo.