Imagens em vídeo sugerem participação de filha na fuga de Carlos Ghosn

Imagens de câmeras de segurança enviadas a um tribunal dos Estados Unidos dão a entender que um dos dois homens acusados de ajudar o ex-presidente do conselho de administração da Nissan, Carlos Ghosn, a fugir do Japão esteve reunido com a filha do executivo em um hotel de Tóquio no dia da fuga.

Em 2 de março, promotores de Tóquio prenderam Michael Taylor, ex-boina verde americano de 60 anos, e seu filho Peter Taylor, de 28 anos. Ambos são acusados de ajudar Ghosn a fugir para o Líbano em dezembro de 2019.

As imagens mostram Peter recebendo bagagens de Maya, filha do ex-executivo da Nissan, no estacionamento de um hotel de luxo na capital japonesa.

Acredita-se que, em seguida, o filho do ex-boina verde tenha se dirigido até um quarto do hotel, onde se encontrou com Carlos Ghosn e seu pai. Ghosn teria trocado de roupa e, então, viajado com os dois homens até Osaka a bordo de um trem-bala. Todos teriam deixado o país em um avião particular que decolou do Aeroporto de Kansai.

Segundo fontes, os Taylor admitiram a veracidade das acusações e declararam aos promotores terem recebido um pedido de ajuda da mulher de Ghosn, Carole, que tem contra si um mandado de prisão por perjúrio.

Os promotores suspeitam que membros da família de Carlos Ghosn estejam envolvidos na fuga do executivo. Eles devem indiciar Michael Taylor e seu filho Peter quando o período de detenção de ambos expirar na segunda-feira.

Um porta-voz do advogado da família Ghosn declarou à NHK que não poderia tecer comentários se algum familiar teria entrado em contato com Peter Taylor.