Órgão nuclear considera grave negligência com segurança ocorrida em usina japonesa

O órgão de regulação nuclear do Japão considera da maior gravidade quanto ao risco de terrorismo uma negligência relacionada com segurança que ocorreu na usina de Kashiwazaki-Kariwa, na província de Niigata.

A Autoridade de Regulação Nuclear do Japão foi notificada em janeiro pela Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco), que administra o complexo, que um operário causou acidentalmente uma avaria em um sensor de detecção de intrusos.

Na terça-feira, o resultado de uma investigação feita na usina foi comunicado em reunião a portas fechadas do órgão.

Na investigação, foi constatado que vários sensores podem ter permanecido avariados desde março do ano passado, expondo o complexo ao risco de invasão por vários meses.

A Autoridade de Regulação Nuclear revelou que funcionários da Tepco encarregados da segurança nada fizeram embora soubessem da ineficácia de medidas de segurança alternativas tomadas.

Na avaliação preliminar da negligência relacionada com segurança feita pelo órgão de regulação nuclear, trata-se da maior gravidade em uma escala de riscos sobre proteção de material nuclear.

Dirigentes do órgão pretendem estudar a possibilidade de impor punição à companhia de energia elétrica tão logo seja finalizada a avaliação.

Em setembro, outro problema ocorreu na usina nuclear. Um funcionário ingressou sem permissão na sala de controle central do complexo com o uso do crachá de um outro funcionário.