Tepco estava ciente de que sismógrafos em Fukushima 1 não estavam funcionando

A operadora da danificada usina nuclear Fukushima 1 informou que sismógrafos localizados dentro da estrutura de um dos reatores não estavam funcionando quando um forte terremoto atingiu o nordeste do Japão no dia 13 de fevereiro.

Na segunda-feira, a Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco) participou de uma reunião com a Autoridade Reguladora Nuclear para discutir o impacto do terremoto sobre a usina e a resposta da companhia.

Autoridades da Tepco declararam que a companhia havia instalado, em março do ano passado, dois sismógrafos dentro do prédio do reator número 3 para avaliar a atividade sísmica nas instalações do reator. No entanto, revelaram na reunião que não foram capazes de coletar dados sobre o tremor sofrido pela estrutura durante o terremoto porque os sismógrafos não estavam funcionando.

Afirmaram que eles estavam cientes de problemas no funcionamento dos sismógrafos, mas que ainda não tinham feito os reparos. Fortes chuvas no mês de julho do ano passado foram uma das causas para a falha dos equipamentos.

Durante a reunião de segunda-feira, a Tepco reconheceu a sua falta de preparo, a qual resultou nesta falha em obter dados de grande valor sobre o terremoto do dia 13.

A Autoridade Reguladora Nuclear declarou que a companhia deveria refletir sobre esta falha em registrar informações sobre o terremoto, descrevendo a resposta da empresa como problemática e pedindo que reportasse o motivo pelo qual os reparos aos equipamentos não foram realizados imediatamente.